3 de fevereiro de 2017

Especial



Não quero parar de dar aula, mesmo sendo tão cansativo.
Ontem me caiu essa ficha. Mesmo que um dia a literatura pague minhas contas, não quero parar de dar aula. A escrita é minha cachaça no mundo, não posso me dar ao luxo de não escrever porque sem esse oxigênio não há como viver. Porém, não quero parar de dar aula. 
Ontem conheci mais um aluno. Início de ano é assim: alunos novos, novos desafios. 
E porque me caiu essa ficha? Esse aluno é especial. Tem hiperatividade. Toma medicamentos. 
Porque me caiu essa ficha? Esse aluno é especial. Queria me contar coisas. Me mostrar coisas. Me distrair. 
Porque me caiu essa ficha? Esse aluno é mais que especial. Quer me ensinar. Mais que aprender. 
Esse aluno é especial. Todos eles são, pela inocência que carregam, pela pureza, pelo que me ensinam diariamente. E esse é mais um anjinho na minha rotina. 
E porque me caiu essa ficha? Por que ele precisa de ajuda, de acompanhamento, de paciência. Ele vai me dar meios de gerar essa paciência. Criatividade. Compaixão. Um didática interessante, diferenciada. Eles sempre me tornam alguém melhor. 
E por que me caiu essa ficha? Porque lá estava eu sentindo o mesmo amor que sinto pelo meu filho. É sempre assim. Ganho muito. Muito. Muito mais do que dôo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário